Dia de trilha! O Mala de Aventuras Explora, continua suas aventuras pelo Rio de Janeiro e hoje foi dia de explorar um pedacinho do Parque da Tijuca: o Caminho das Grutas.

DCIM103GOPRO

Bem sinalizada, a trilha logo começa com uma plaquinha “Grutas” indicando o caminho a ser seguido e, a partir daí, serão várias grutas pelo caminho, tornando a caminhada agradável e tranquila, já que a distância entre uma e outra não é tão extensa ou íngrime demais.

A Gruta do Belmiro foi a primeira parada. Apesar de não ter nenhum atrativo especial, a subida que tem na lateral vale a pena para curtir a vista e tirar umas fotos.

Quase em frente a ela nos deparamos com a Gruta do Archer, que já fez valer a pena o passeio! Uma das minhas preferidas, essa gruta mais parece uma janela para a floresta densa que encontra-se a frente. A decida é simples, é só tomar cuidado e, com uma mãozinha, chega-se no interior dela.Caminho das Grutas6-001Caminho das Grutas7Caminho das Grutas8-001Um pouco adiante na trilha, encontramos a Gruta dos Morcegos e a Gruta Bernardo de Oliveira. A primeira é incrível, quase completamente vedada e com um pé direito altíssimo, apenas com uma entradinha de luz e dá pra imaginar o porquê do nome dela. A segunda era pequena e sem nada de especial.

Por ali, há um paredão de pedra e uma área limpa e fresquinha, uma boa pedida para um piquenique ou apenas uma parada para descansar.  Mas tomem cuidado ao andar nas redondezas, aliás, em toda a trilha, pois avistamos uma jararaca próxima ao caminho que passamos. (!!!)DCIM103GOPRO

Seguindo a trilha passamos pelo Rio do Archer, um bom local para dar uma respirada, lavar a mão e se refrescar,  e logo a seguir veio a pequena Gruta Gabriela.

Outro atrativo da trilha são as Ruínas do Sítio Humaitá. Histórica, a antiga casa foi habitada pelo Barão do Bom Retiro no século XIX, mas hoje restam apenas uns tijolos aqui e ali. Lá você encontrará uma placa com informações mais detalhadas sobre a história.

Essa fazenda marca a época em que o Parque era dominado pelo cultivo intensivo de café com desmatamento que assolou a região. Esse quadro só foi revertido com o plano de reflorestamento do Major Archer, que levou mais de 10 anos para plantar 100 mil mudas na região com a ajuda de seis escravos. Incrível, né? Esse fato histórico era desconhecido por mim e fiquei surpresa ao descobrir que parte do Parque da Tijuca foi fruto de reflorestamento, muito bem feito, por sinal!Caminho das Grutas2Caminho das Grutas3

Depois de cerca de 3h de caminhada leve, chegamos de volta à estrada, num ponto bem próximo a Cascata Diamantina, onde é possível dar um mergulho em alguns pontos.  Ficamos um pouco por lá curtindo a água fresca e depois voltamos para o nosso caminho, subindo em direção contrária a dos carros. No caminho ainda fizemos uma última parada na Vista do Almirante, que é uma bela janela nas árvores voltada para a Pedra da Gávea.DCIM103GOPROgrutas1

De volta ao ponto onde estacionamos o carro, o Restaurante A Floresta, ainda fomos até uma cachoeira que fica bem próxima da estrada, a Cachoeira das Almas. Dica? Assim que chegar no parque, vá até a cachoeira para encontrá-la ainda tranquila e sem muito movimento. No horário em que chegamos lá já não dava pra chegar muito próximo da cascata por estar cheia. Nessa mesma trilha vale a pena ir também se estender um pouquinho até o Lago das Fadas.

INFORMAÇÕES ÚTEIS

Como chegar: siga pelo Alto da Boa Vista até a Praça Afonso Vizeu, portão de entrada do Parque da Tijuca. A partir de lá é só seguir as placas até o Restaurante “A Floresta”, onde você encontrará um estacionamento e poderá deixar o carro bem próximo ao início da trilha.

Nível da trilha: Leve. A caminhada leva cerca de 3h com calma e não é muito íngreme.

Dicas importantes:

O parque abre às 8h, chegue o mais cedo possível para evitar de pegar “engarrafamento” nas trilhas. Às 11h, quando terminamos a trilha, as cachoeiras já estavam bem movimentadas.

Leve na mochila: protetor solar, OFF (eu sofri com insetos por lá!), bastante água para aguentar o calor, biquini/sunga para dar um mergulho nas cachoeiras, uns snacks e toalha para dar um mergulho nas cachoeiras.

Não se esqueça de preservar nosso maravilhoso parque, afinal, ele é de todos e devemos cuidar do que é nosso. Leve seu lixinho embora após o piquenique, não deixe marcas e nada de levar pra casa as plantas do parque!

Mais informações sobre o parque:

Tels: (21) 2491-1700/ 2492-2252 / 2492-2253
Fiscalização: (21) 2491-1700
E-mail: [email protected]

Mapa da trilha (fontemapagrutas


OBS: é provável que você encontre links de afiliados nesse post. Portanto, se você utilizou os nossos links para fazer as reservas da sua viagem, muito obrigada! É dessa forma que mantemos o blog ativo e sempre atualizado, pois ganhamos uma pequena comissão gerada através dessas vendas - e você não paga nada a mais por isso!
Quem escreve | @gaiavani
Quem escreve
Fotógrafa, viajante de carteirinha e empreendedora digital, a editora do Mala de Aventuras vive a vida intensamente, aproveitando cada horinha do seu dia para transformar o mundo através das viagens.

5 respostas

    1. Oi Luiz Clúadio, que bom que gostou 🙂
      Acompanhe a gente pelo facebook e instagram também: @maladeaventuras
      Beijos

    1. Oi Sabrina,
      Que bom que ajudamos você a planejar seu passeio!
      Sobre segurança, você pergunta em que sentido? Alguns amigos meus estiveram lá recentemente e falaram que está bem tranquila a trilha. Tem que tomar cuidado só com cobras, pois elas estão por lá e muitas vezes pertinho da trilha.
      Beijos!

  1. Experiências maravilhosas a de vocês, espero um dia poder ir me aventurar com vocês, se ouber disponibilidade me envie um e-mail adoraria conhecer esses lugares que por sinal estão do meu lado e eu nem conhecia, aff… Kkk

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *